Qual é a importância Importância da contabilidade para os advogados?

Abrir um escritório de advocacia não é tão simples como pensam, a contabilidade para advogados precisa tomar decisões importantes como Capital Social, Regime de Tributação, Porte e participação (se tiver sócios), Natureza Jurídica e outras escolhas que indiretamente afetam na carga tributária do
negócio. O escritório contábil é fundamental para garantir a saúde e controle fiscal, financeiro e econômico de qualquer empreendimento ou negócio. A contabilidade tem o importante papel de prestar o suporte necessário para a empresa crescer e se manter viva no mercado cada vez mais ompetitivo.

Os Advogados de sucesso compreendem a importância de ter uma contabilidade para advogados, porém, por mais que queiram alcançar o sucesso, muitos advogados acabam cometendo o erro fatal de não dar muita importância a esse serviço tão importante. A parte administrativa do escritório é complexa, desafiadora e muitas vezes pode ser deixada de lado pelos advogados. Poder contar com uma contabilidade para advogados especializada que conheça o dia a dia de sua área pode lhe ajudar a alcançar o sucesso e ter mais tempo para se dedicar aos seus clientes com tranquilidade.

Na matéria de hoje vamos pontuar os principais benefícios de ter uma contabilidade especializada em escritórios de advocacia para cuidar de toda a parte burocrática da empresa. Além disso, a assessoria contábil pode ajudar a reduzir a carga tributária, organizar a gestão financeira e aumentar sua lucratividade.

 

Por que contratar um escritório de contabilidade para contabilidade de advogados?

O ramo do direito tem diversas particularidades que devem ser observadas durante a assessoria contábil. Assim, é necessária atenção às normas específicas de natureza fiscal, jurídica e societária. Ter um escritório de contabilidade para Advogados permite que você cuide dos seus negócios com muito mais tranquilidade e foco estratégico, enquanto as suas finanças ficam nas mãos de contadores especializados em potencializar seus resultados e reduzir custos.

Sabemos que a rotina dos escritórios de advocacia são exaustivas e burocrática dentro deste vasto universo do Direito. Por que se preocupar e desgastar com pilhas e mais pilhas de documentos e processos repetitivos também no cuidado com as suas finanças? Nossa especialidade é cuidar da parte burocrática para que você não tenha que lidar com ela enquanto conduz os seus negócios. Independentemente da especialização do escritório de advogados, podemos ajudar a reduzir custos, otimizar processos e até mesmo pagar menos impostos.

Por isso, se deseja ter acesso às vantagens mencionadas acima e muito mais, fique atento ao conteúdo preparado sob medida para você. Dessa forma, você poderá entender questões importantes para poupar tempo com preocupações!

O que faz uma contabilidade para advogados?

A jornada de um advogado não é nada fácil. São diversos clientes para administrar, cuidar de questões na própria empresa etc. Por mais qualificado que o advogado seja, nem sempre é fácil lidar também com os assuntos burocráticos da empresa. Mas o que faz, então, uma contabilidade para advogados e como isso traz retorno?

O contador, devidamente cadastrado e regulamentado no CFC, possui o domínio das práticas ideais para lidar com áreas fiscais, administrativas, financeiras, patrimoniais e econômicas de uma empresa. As principais funções deste profissional, portanto, são:

Planejamento tributário para que você pague menos impostos
O contador ajudará o escritório de advocacia a pagar menos imposto e isso não é ilegal. Ocorre que existem algumas brechas nas leis que permitem essa redução. Desta forma, um bom serviço de contabilidade para advogados realizará um planejamento tributário de forma eficiente e que impactará positivamente nas finanças.

Controle de fluxo de caixa
O controle do fluxo de caixa é algo que muitos advogados acabam negligenciando por conta da correria. Contudo, ele é essencial para que a vida financeira seja controlada de forma eficiente e para que o escritório se mantenha no positivo e gere lucros. Portanto, é essencial na contabilidade para advogados.

Folha de pagamento dos sócios, associados e estagiários
A folha de pagamento deve ser realizada por um profissional capacitado, como o contador. Isso porque sua realização exige o conhecimento de cálculos complexos e leis trabalhistas. Sendo assim, tendo um contador, contratando um serviço de contabilidade para advogados, o escritório terá a certeza que o serviço será realizado com total eficiência.

Elaboração das demonstrações contábeis
As demonstrações contábeis são essenciais para analisar a situação financeira de um escritório de advocacia. Isso porque ele permite que haja comparações e análise dos demonstrativos financeiros para que se possa realizar um diagnóstico da vida financeira da empresa, também permite que se possa realizar uma comparação dos concorrentes. Ou seja, também é indispensável na contabilidade para advogados.

Obtenção de CNPJ e registro de pessoa jurídica
Estar no início do negócio ainda não é justificativa para dispensar a contabilidade para advogados. Os advogados que pretendem abrir uma empresa, assim, podem contar com o auxílio de um contador. Com isso, eles não precisarão enfrentar todos os processos burocráticos, economizando tempo e dinheiro.

Preenchimento e envio de obrigações tributárias
Outra atividade que o contador pode realizar, para simplificar a vida dos advogados, é o preenchimento e envio das obrigações tributários. Algo essencial para que não haja problemas com a Receita Federal. Além de entregar todas as obrigações, a contabilidade para advogados também pode se tornar uma importante aliada, tanto nas questões gerenciais quanto administrativas. Isso porque um bom contador, que também atua de forma consultiva, pode apresentar insights importantes para a tomada de decisões no planejamento estratégico e até mesmo na elaboração de relatórios gerenciais.

Como escolher um escritório de contabilidade para advogados?

É importante analisar alguns aspectos antes de contratar melhor o escritório de contabilidade para advogados. Se você está com alguma dúvida para tomar essa decisão, confira abaixo alguns pontos importantes para fazer a escolha certa.

Infraestrutura: o primeiro tópico, na hora de escolher uma contabilidade para advogados, é a infraestrutura. É importante entender se o escritório conseguirá atender a sua demanda.
Conhecimento técnico: os profissionais devem ser experientes e capacitados para atender todas as dúvidas, principalmente no que diz respeito às legislações específicas do seu negócio.
Equipe: avalie quantos funcionários o escritório contábil pode oferecer para lhe atender. Tudo depende do porte da sua empresa de advocacias e das demandas que ela exige.
Bom atendimento: analise a praticidade, cordialidade e agilidade no atendimento do seu contador. Estude como será o tratamento desse profissional. Além disso, observe também os canais de comunicação que o escritório utiliza.
Localização: o ideal é que seu contador esteja próximo da empresa, pois vocês precisarão fazer reuniões e visitas constantemente. Assim, você estará economizando tempo e dinheiro, não precisando ir até outra região para encontrar o contador.


Advogados devem formalizar a empresa?

Trabalhar de forma autônoma exige o pagamento de Imposto de Renda e contribuição à Previdência Social. Essas incidências são mais pesadas do que para funcionários e donos de empresa, por exemplo. Vamos te explicar mais, o INSS, por exemplo, para empregados fica entre 8% e 11%. E para empreendedores é sempre de 11% sobre o pró-labore. Já para o autônomo, como contribuição individual, é de 20% ao mês. Entende como há a economia de impostos quando o negócio é formalizado?

Contabilidade para advogados na segregação de receitas:
Um dos principais pontos da contabilidade para advogados e escritórios de advocacia é a segregação de receitas de honorários e valores creditados a clientes. Afinal, qualquer erro pode gerar transtorno aos profissionais, custos elevados e até multas. Por exemplo, na questão tributária, um negócio pode acabar pagando impostos maiores do que deveria se tal separação não for feita com cuidado e atenção. Na contabilidade, o fato de não escriturar corretamente tais movimentações pode desorganizar a escrituração totalmente, gerar resultados equivocados e fazer a empresa ser autuada pelos órgãos de fiscalização da área.

Além disso, atentar-se ao fato de que a contabilidade para advogados compreende mais do que valores cobrados e movimentações consequentes de juízo, é muito importante neste segmento. Existem os impostos, custos fixos e variáveis e ainda os possíveis montantes liberados de ações mais antigas. Tudo isso precisa ser devidamente alinhado, classificado, lançado e analisado nas demonstrações contábeis.

A contabilidade ajuda no planejamento tributário?

Sim, óbvio!. Analisar as informações da empresa junto ao contador facilita para o advogado planejar ações para o andamento tributário da sua empresa ou escritório, sendo possível:

Recuperar possíveis impostos pagos a mais anteriormente;
Aplicar corretamente as alíquotas referentes à atividade da empresa, evitando autuações;
Buscar maneiras de reduzir as obrigações a pagar por meio de alternativas existentes na legislação tributária;
Simular as práticas tributárias de outros regimes para verificar periodicamente se o enquadramento do momento ainda será o melhor para a empresa no futuro;
Entregar corretamente e no prazo as declarações obrigatórias;
Acompanhar a agenda tributária e criar a agenda interna de obrigações da empresa a partir de dados dos calendários dos órgãos de fiscalização.
Todas essas são práticas obrigatórias ou permitidas por lei. Para que funcionem, é preciso ter uma estratégia que auxilia no aproveitamento de permissões, como a redução de impostos e o cumprimento das obrigações legais. Quando realizada em conjunto com um especialista contábil, os resultados positivos são mais elevados do que quando é realizada sem essas análises.

Sociedade Simples, você sabe como funciona?
Quando profissionais se juntam e formam uma sociedade para prestar serviços técnicos ou intelectuais, como acontece na advocacia, é chamada de Sociedade Simples. Ela funciona como um formato de sociedade previsto pelo Código Civil de 2002, para a formalização de micro e pequenas empresas nas quais os proprietários exercem atividades fim específicas. Os envolvidos prestam serviços para os quais formalizaram a união intelectual e conseguem aproveitar as vantagens tributárias previstas na lei.

É verdade que durante muito tempo as Sociedades Simples ficaram impedidas de optarem pelo Simples, o que fazia com que a atuação como pessoa jurídica não fosse interessante. Mas, com as mudanças na Lei Complementar 123, de 2006, a partir de janeiro de 2018, os negócios do direito poderão sair da autonomia e reduzir custos significativamente.

Sociedade Unipessoal de Advocacia
Recente ainda na versão para advogados, a Sociedade Unipessoal Limitada traz benefícios como:

Uso do nome do advogado como nome empresarial;
Responsabilidade ilimitada do proprietário em relação a finanças, dívidas e ações da empresa.

Em alguns pontos tem semelhança com a Sociedade Simples:

Desde janeiro de 2018, é possível aderir ao Simples;
É proibido que o negócio tenha, formal ou informalmente, características de outros tipos de empresas — como a adoção de nome fantasia;
É proibido que seja exercida atividade diferente da utilizada como finalidade para a abertura da Sociedade Unipessoal.
O advogado que escolhe esse modelo não pode ter outra sociedade do mesmo tipo. Não pode também fazer parte de uma Sociedade Simples localizada no mesmo estado da sua empresa unipessoal.

Tributação de advogado associado
Um advogado associado, com relação devidamente instrumentalizada em contrato regular registrado na Ordem dos Advogados, não é nem sócio nem empregado do escritório advocatício. É, como o nome diz, associado, atendendo a um regramento próprio insculpido no Provimento Federal n° 112/2006 da OAB.

O advogado associado é então uma pessoa física contratada para prestar serviços ao escritório de advocacia, não devendo haver subordinação e controle de jornada nessa relação.

Ele pode ter associação com outros escritórios neste ramo. Caso tenha elementos de relação empregatícia (continuidade, habitualidade, onerosidade, pessoalidade e subordinação), é preciso retirar a formalização do contrato de associação, pois há o risco trabalhista e ele deixa de ser advogado associado.

Além disso, não sendo sócio, não tem o direito a receber distribuição de lucros da sociedade de advogados. Pelo contrário, sua remuneração deverá estar prevista no contrato de associação, no qual via de regra representa a participação nos processos em que contribui com seu trabalho ou mesmo na participação da totalidade do trabalho.

Como é feita contabilidade de um escritório de advocacia?

O primeiro passo é fazer a contabilidade jurídica mantendo o controle financeiro. É preciso registrar todos os valores que entram e saem, seja das contas de advogados individuais ou de um escritório de advocacia. Em sequência, é preciso ter em mente que evitar despesas maiores desnecessárias é importante ao controlar impostos, por exemplo. Além disso, os demais gastos quando não controlados, podem antecipar transtornos com despesas geradas por equívocos, que somente são encontrados com fiscalizações.

Afinal, como realizar o controle financeiro?
No registro dos custos (passivos), o advogado pode registrar, por exemplo:

  • Custos com aluguel e outras contas, como energia elétrica, internet, entre outras;
  • Custos com instrumentos da atividade profissional, como aquisição e manutenção de equipamentos;
  • Custos com possíveis serviços contratados para a atividade profissional, como consultorias, serviços de marketing e design, por exemplo;
  • Despesas tributárias; entre outros.
  • Ressalta-se que esses custos devem ser atualizados constantemente. Do mesmo modo, não se deve ignorar um custo por não ter recorrência. Afinal, custos imprevistos sempre podem ocorrer. Então, considerá-los no cálculo de contabilidade é essencial.

Já quanto aos rendimentos (ativos), é imprescindível constar na contabilidade para advogados:

  • Os valores recebidos como honorários advocatícios (inclusive montantes liberados de processos antigos);
  • Os valores recebidos a título de atendimentos e outros serviços.

 

Principais dúvidas sobre a contabilidade para advogados

Como abrir uma empresa?

Mesmo para advogados autônomos, pode ser benéfico formalizar a empresa, sobretudo pela economia tributária. Trabalhar como autônomo, por exemplo, exige que sejam pagos tributos como Imposto de Renda e contribuição à Previdência Social superiores aos de uma empresa. Portanto, é benéfico formalizar uma empresa quando as alíquotas incidentes sobre os rendimentos do advogado autônomo superam aqueles incidentes sobre os da pessoa jurídica. Para abrir com tranquilidade e evitar problemas futuros, veja nosso guia prático com tudo que você precisa saber para abrir a sua empresa, desde a emissão do seu CNPJ até o processo de protocolar documentos necessários para regularização do negócio. Clique aqui e veja o passo a passo de como abrir uma empresa.

Sociedade de advogados também se beneficia do Simples Nacional?

Segundo o artigo 15 do Estatuto da Advocacia e da OAB, “os advogados podem reunir-se em sociedade simples de prestação de serviços de advocacia ou constituir sociedade unipessoal de advocacia”. Contudo, pode ainda restar dúvidas quanto à opção do Simples Nacional por sociedades de advogados, Simples ou Unipessoais, uma vez que o artigo 3º, da Lei Complementar nº 123/2006, não traz essa especificidade. Assim, ele dispõe:

Art. 3º Para os efeitos desta Lei Complementar, consideram-se microempresas ou empresas de pequeno porte, a sociedade empresária, a sociedade simples, a empresa individual de responsabilidade limitada e o empresário a que se refere o art. 966 da Lei no 10.406, de 10 de janeiro de 2002 (Código Civil), devidamente registrados no Registro de Empresas Mercantis ou no Registro Civil de Pessoas Jurídicas, conforme o caso […]

Apesar da incerteza do artigo, segundo o artigo 2º da Resolução CGSN nº 140/2018, as sociedades de advogados também se enquadram nos conceitos de microempresas e empresas de pequeno porte para fins do Simples Nacional. É o disposto no artigo:

Art. 2º Para fins desta Resolução, considera-se:

I.Microempresa (ME) ou empresa de pequeno porte (EPP) a sociedade empresária, a sociedade simples, a empresa individual de responsabilidade limitada ou o empresário a que se refere o art. 966 da Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002 – Código Civil, devidamente registrados no Registro de Empresas Mercantis ou no Registro Civil de Pessoas Jurídicas, conforme o caso, e a sociedade de advogados registrada na forma prevista no art. 15 da Lei nº 8.906, de 4 de julho de 1994, desde que: (Lei Complementar nº 123, de 2006, art. 3º, caput; art. 18, § 5º-C, VII).

Os cálculos e documentos necessários à contabilidade para advogados, todavia, também devem respeitar as disposições legais do Simples Nacional, aplicáveis às demais modalidades de empresa.

Quais os livros necessários à contabilidade para advogados que optem pelo Simples Nacional?
Segundo o artigo 63 da Resolução CGSN nº 140/2018, é necessário à contabilidade para advogados que optem pelo Simples Nacional, possuir os seguintes registros e controles, através de livros:

Livros Caixa: com a escrituração de toda a sua movimentação financeira e bancária;
Livro Registro de Inventário: com registro dos estoques existentes no término de cada ano-calendário, caso seja contribuinte do ICMS;
Livro Registro de Entradas: modelo 1 ou 1-A, com a escrituração dos documentos fiscais relativos às entradas de mercadorias ou bens e às aquisições de serviços de transporte e de comunicação efetuadas a qualquer título pelo estabelecimento, caso seja contribuinte do ICMS;
Livro Registro dos Serviços Prestados: com registro dos documentos fiscais relativos aos serviços prestados sujeitos ao ISS, caso seja contribuinte do ISS;
Livro Registro de Serviços Tomados: com registro dos documentos fiscais relativos aos serviços tomados sujeitos ao ISS;
Livro de Registro de Entrada e Saída de Selo de Controle: caso seja exigível pela legislação do IPI.

Em relação ao Livro Caixa, faz-se uma ressalva no parágrafo 3º, pois é dispensada a sua apresentação, caso se apresente a escrituração contábil, em especial o Livro Diário e o Livro Razão.

Sociedade de Advogados não pode utilizar nome fantasia?
Não pode, conforme Artigo 16 do Estatuto da Advocacia e da OAB. Veja o que está escrito:

“Art. 16. Não são admitidas a registro nem podem funcionar todas as espécies de sociedades de Advogados que apresentem forma ou características de sociedade empresária, que adotem denominação de fantasia, que realizem atividades estranhas à advocacia, que incluam como sócio ou titular de sociedade unipessoal de advocacia pessoa não inscrita como Advogado ou totalmente proibida de advogar.”

Que CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) deve ser utilizado para Sociedade de Advogados?
Deve ser utilizado o CNAE 6911-7/01, cuja descrição é “Serviços advocatícios” e também compreende as seguintes atividades:

Representação legal dos interesses de uma parte contra outra, diante de tribunais ou de outros órgãos judiciais, realizada por Advogado ou sob sua supervisão, tais como: aconselhamento e representação em ações civis, aconselhamento e representação em ações criminais, aconselhamento e representação em ações administrativas, aconselhamento e representação em ações trabalhistas e comerciais;
Assessoria geral e aconselhamento e a preparação de documentos jurídicos, tais como: estatutos sociais, escrituras de constituição, contratos de sociedade coletiva ou documentos similares relacionados à formação de sociedades, contratos, inventários, etc.

Uma Sociedade de Advogados precisa ter um Contador?
É preciso ter claro que uma empresa, independente da natureza jurídica, precisa saber das obrigações acessórias, do controle financeiro, das regulações e impostos com o fisco para estar dentro das leis e evitar problemas no futuro. Sendo assim, um contador ou escritório de contabilidade é indicado para fazer os cálculos necessários, entregar as declarações e estar atento a qualquer mudança prevista na Lei.

Você pode ser advogado e contador ao mesmo tempo?
Para que um empresário resolva suas questões jurídicas, ele deve consultar um advogado.

Veja o que diz a Lei 8.906/94:

Art. 1º São atividades privativas de advocacia:

I – a postulação a qualquer órgão do Poder Judiciário e aos juizados especiais; (Vide ADIN 1.127-8)
II – as atividades de consultoria, assessoria e direção jurídicas. […]
§ 2º Os atos e contratos constitutivos de pessoas jurídicas, sob pena de nulidade, só podem ser admitidos a registro, nos órgãos competentes, quando visados por advogados. Ou seja, um contador possui um espectro de atividades que não é o mesmo de um advogado e caso ele exerça atividades que competem ao que é estabelecido pela OAB estará exercendo sua profissão ilegalmente. (art. 47 da Lei de Contravencoes Penais). Além disso, estará correndo o risco de fazer sugestões e orientações de maneira equivocada.

Siga as regras da OAB e a ética profissional
A maior parte dos processos por infração ao código de ética profissional são de advogados mais jovens. Conheça bem o código de ética e os limites de sua atuação profissional. Cuide muito bem disto, pois, um processo na Ordem pode prejudicar sua atuação.

Como o escritório de contabilidade formaliza a empresa de advocacia?

O advogado que deseja abrir empresa, com CNPJ regularizado, precisa passar por algumas etapas para que o negócio funcione de forma correta. A primeira delas é que o advogado deve estar devidamente registrado na OAB. A Lei nº 6.839/1980 explica que o registro de empresas, e profissionais legalmente habilitados, é obrigatório nas entidades competentes para a fiscalização do exercício de algumas profissões, como é o caso dos advogados. Além disso, também são necessárias outras etapas, com impactos na contabilidade para advogados, como:


Verificação no INPI
O INPI é o Instituto Nacional da Propriedade Industrial e ele regulamenta o registro de marcas para que não haja duplicidade de empresas com o mesmo nome. Antes de iniciar os processos de abertura da empresa, é necessário fazer a consulta junto a esse órgão público para certificar de que não exista nenhum outro escritório com o mesmo nome que você está pretendendo utilizar.

Escolha da natureza jurídica. Em seguida, é necessário definir a natureza jurídica de sua empresa. É por meio dela que as organizações se enquadram em diferentes programas e recebem seus benefícios e exigências. Para os advogados, os modelos mais comuns são:
Empresa Individual Unipessoal: uma única pessoa constitui a empresa, cujo nome empresarial deve ser composto por seu nome civil, completo ou abreviado. É a pessoa física titular da empresa, podendo constituir apenas uma em seu nome;
Sociedade Limitada, ou LTDA: é aquela que reúne dois ou mais sócios a fim de explorar atividades de produção ou circulação de bens e serviços. Inclui toda empresa que contribui com moeda para formação de capital social e realização da constituição empresarial;
Sociedade Simples, ou SS: exploram atividades de prestação de serviços decorrentes de atividades intelectuais e de cooperativa. Ou seja, os sócios não exercem nenhuma atividade voltada ao comércio. Exemplo: contadores, advogados, cooperativas e representações comerciais;
Empresa Individual de Responsabilidade Limitada, ou EIRELI: empresa formada por somente uma pessoa, onde o capital pertence unicamente ao titular. Esse capital deve ser obrigatoriamente integralizado e não pode ser inferior a 100 vezes o salário mínimo vigente.


Cadastro na Junta Comercial
Em seguida, é necessário realizar o cadastro da empresa na Junta Comercial do seu estado. O contador ou escritório de contabilidade para advogados irá solicitar alguns documentos, como comprovante de residência, RG e CPF de cada sócio, IPTU do imóvel, entre outros. Assim que aprovado, o advogado terá em mãos o NIRE (Número de Identificação do Registro de Empresa).

Obtenção do CNPJ
O próximo passo é realizar o registro da empresa como contribuinte para obter o número do CNPJ. Esse processo é feito na Receita Federal.

Registro da Inscrição Municipal
Empresários de advocacia precisam também fazer um registro na Prefeitura, a chamada Inscrição Municipal. Ela funciona como uma permissão de funcionamento para empresas que realizam o recolhimento do ISS (Imposto Sobre Serviço).

Alvará de Funcionamento
Logo depois é necessário obter uma licença prévia do município para poder atuar, o Alvará de Funcionamento. Esse documento autoriza o advogado a exercer suas atividades e deve ser feito na Prefeitura.

A contabilidade para advogados é uma aliada desse tipo de negócio, que hoje está cada vez mais enquadrado como empresarial – muitos advogados liberais, por exemplo, estão migrando para o regime PJ, a fim de reduzir impostos e ter mais opções para trabalhar, como ampliando seus negócios e contratando funcionários. Seja qual for sua decisão, se continuará trabalhando sozinho ou se terá uma advocacia, o contador deverá ser seu primeiro contato nesse processo, pois ele ajudará desde a abertura da empresa até o pagamento de tributos e entregas de documentos.

Atuação conforme a legislação
As leis trabalhistas e tributárias têm passado por várias alterações, exigindo muito cuidado dos profissionais.

Por causa disso, as empresas procuram por serviços de contabilidade para escritórios de advocacia para assegurar a atualização constante e sempre em conformidade com as últimas regras impostas — o que é primordial para evitar eventuais problemas com os órgãos fiscalizadores.
Auxílio na escolha do regime de tributação

Com o auxílio de um escritório de contabilidade especializado é possível escolher o regime mais adequado para o escritório de advocacia e, assim, formalizá-lo. Caso o negócio já esteja em atividade, o profissional pode ajudar na escolha da melhor alternativa com base na análise de estudos e projeções, gerando economia com a redução de pagamentos de impostos desnecessários.

Aprimoramento do processo de gestão
Uma contabilidade eficiente exerce um papel relevante junto ao processo de gestão, já que o empreendedor tem acesso a dados diferenciados e precisos, que servem como fundamento para a tomada de decisão.

Essas informações são referentes às receitas, aumento da lucratividade ou, ainda, à projeção de resultados, e como o escritório alcançará seus objetivos e metas.
Cuidado com a parte burocrática.

Conclusão

A contabilidade para escritório de advogados cuida também do cumprimento das obrigações periódicas e apresentação de balanços e relatórios, como a escrituração, controle do fluxo de caixa e verificação de impostos.

Além disso, medem, avaliam e validam os resultados, contribuindo para o crescimento sustentável e legal do negócio.
Cumprimento dos prazos

A advocacia é uma das profissões que mais trabalham com prazos apertados. Nesse sentido, a contabilidade atua de forma rigorosa para garantir o cumprimento de todos os prazos relativos às obrigações contábeis, fiscais e trabalhistas.
Permissão para que o advogado atue em sua atividade principal. Geralmente, o advogado não tem tempo para lidar com tantas tarefas diferentes e que não estão relacionadas com a área jurídica. O auxílio da contabilidade acaba se tornando um alívio na carga de trabalho do profissional, já que cuida da rotina contábil do escritório. Assim, o advogado pode realizar as suas tarefas sem maiores preocupações com outras demandas.

Conseguiu entender a importância da contabilidade para advogados? Sem dúvidas é uma ótima opção para o escritório, tendo em vista sua contribuição para a organização e cumprimento de atividades indispensáveis para o funcionamento e legalização do negócio.

 

Saiba mais sobre os tipos de contabilidade existentes no mercado. Entre em contato agora mesmo!

📞 (31) 3508-2000
✓ papyrus@papyruscontabil.com.br
💻 Instagram: @papyrus.contabil

 

 

Via: contabilizei / capitalsocial / sajadv / jvicontabilidade /