Falamos anteriormente sobre quem deve declarar o Imposto de Renda 2022 e qual é a data limite de entrega, o período para declarar o Imposto de Renda 2022 vai de 7 de março a 29 de abril e é muito importante organizar todos os dados para conseguir preencher todas as informações necessárias com bastante atenção para não cair na malha fina. Cair na malha fina significa que a Receita Federal encontrou inconsistências na sua declaração anual. Quando isso acontece, você não recebe a restituição até que todas as informações sejam retificadas e devidamente comprovadas.

Assessoria Contábil: caí na malha fina e agora o que fazer?

De acordo com a Receita Federal, em 2021 mais de 860 mil declarações (ou 2,4% do total enviado) ficaram retidas por inconsistências. Hoje selecionamos alguns cuidados e algumas dicas na hora de fazer a declaração do IR, para evitar cair na malha fina e ter problemas e dor de cabeça.

Por que uma declaração do IR pode cair na malha fina?

Ter a declaração retida não quer dizer que a pessoa é sonegadora de impostos, mas é importante ter alguns cuidados para garantir que as informações declaradas estejam corretas – sem omissões, valores errados ou informações cadastrais erradas, por exemplo.

De acordo com a Receita Federal, os principais motivos que levaram à retenção de declarações em 2021 foram:

  • Omissão de rendimentos sujeitos ao ajuste anual (como salários, ações judiciais e rendimento de aluguel);
  • Deduções da base de cálculo (como despesas médicas, contribuições para previdência oficial, previdência privada e pensão alimentícia);
  • Divergências entre o que consta em Declaração do Imposto sobre a Renda Retido na Fonte (Dirf) e o que foi declarado pela pessoa física;
  • Deduções do imposto devido, recebimento de rendimentos acumulados e divergência de informação sobre pagamento de carnê-leão ou imposto complementar.

Confira as principais orientações para evitar erros e omissões e cair na malha fina.

  • Organizar documentos ao longo do ano ou pelo menos algumas semanas antes de enviar a declaração
  • Ser transparente com a Receita Federal e informar todos os rendimentos recebidos no ano anterior, assim como comprovar todos os gastos que geram dedução
  • Revisar a declaração antes do envio para evitar erros de preenchimento
  • Identificar operações que não ocorrem com frequência, para evitar omissão de dados. Entre essas operações, estão compra e venda de bens acima de R$ 5 mil, que podem gerar ganhos de capital
  • Evitar a inclusão de dependentes em duas declarações
  • Incluir os rendimentos próprios dos dependentes, como filho que recebe pensão de ex-cônjuge
  •  Evitar inclusão de despesas médicas indedutíveis ou sem comprovação
  • Acompanhar o processamento da declaração após a entrega e retificar dados inconsistentes ou omitidos o mais rápido possível.

 

O que fazer para não cair na malha fina?

É preciso ter muita atenção para declarar o Imposto de Renda e algumas das melhores dicas para não cair na malha fina são:

1. Cuidado com erros de digitação

Se você informar valores errados à Receita por um dígito a mais ou a menos, por exemplo, sua declaração pode ficar comprometida e você cairá na malha fina.

Depois de preencher todas as informações, reserve um tempo para revisá-las e verificar se está tudo certo.

2. Tenha documentos em mãos

Reúna todos os documentos pessoais, comprovantes, recibos de rendimentos e outros gastos dedutíveis. Aqui entram, por exemplo, notas de corretagem, informe de rendimentos do IR e planilha de controle, incluindo informações sobre os seus dependentes.

Ter esses documentos em mãos te ajuda a se organizar na hora de fazer a declaração e comprovar as informações declaradas.

3. Rendimentos isentos também precisam ser declarados

Ainda que não haja tributação sobre rendimentos como bolsa de estudos, herança ou doações, eles precisam ser informados na declaração anual de IR.

4. Atenção na hora de declarar dependentes

Você precisa declarar todos os rendimentos recebidos pelos seus dependentes mesmo se eles forem menores de idade.

Além disso, cada pessoa só pode ser considerada dependente em uma declaração. Ou seja: um filho de pais separados, por exemplo, só pode ser declarado como dependente de um deles.

5. Informe o valor real dos seus bens

Se você tem veículos, imóveis ou outros bens, é necessário declará-los com o valor de aquisição, e não de mercado.

Em outras palavras, isso significa que você precisa declarar esses bens com os valores que pagou por eles. Se você fizer a declaração com base no valor de mercado, isso pode aumentar ou diminuir o seu patrimônio em relação a quanto ele realmente está avaliado.

6. Informe o saldo das suas contas bancárias corretamente

Saldos acima de R$ 140 precisam ser declarados. Se você tiver conta em mais de uma instituição que tenha um saldo igual ou superior a esse valor, lembre-se de declarar todas elas.

Outro ponto importante é nunca permitir que outras pessoas movimentem dinheiro na sua conta: além da prática ser arriscada, se a sua movimentação não for compatível com os seus rendimentos, existem chances de você cair na malha fina.

7. Acompanhe o status da sua declaração

Depois do contribuinte concluir e enviar a sua declaração online ou no programa do IR 2022, a Receita Federal leva em torno de 48 horas para cruzar os seus dados com as instituições financeiras.

Caso a Receita encontre alguma inconsistência, o contribuinte consegue acessar as pendências apontadas e tem um prazo para regularizar essas informações.

A Papyrus Assessoria Contábil atua no mercado contábil desde 1982 com soluções de ponta e sempre inovadoras.

Para saber mais informações sobre o Imposto de Renda 2022 consulte um de nossos especialistas agora mesmo!
📞 (31) 3508-2000
✓ papyrus@papyruscontabil.com.br
💻 Instagram: @papyrus.contabil

 

 

Via: Contábeis / Nubank